FALANDO EM IMPRESSÃO DIGITAL…

Tintas jatos e toners

As tecnologias de impressão sem forma são subdivididas em dois tipos:

  •  Jato de tinta
  • Eletrostática

JATO DE TINTA

Tem por definição um sistema de impressão que utiliza um jato de micro gotas de tinta, controlado por dados digitais, para projetar áreas de grafismo sobre um suporte empregando processos de impressão, tais como fluxo contínuo ou sob demanda, aproveitando técnicas térmicas, eletrostáticas e piezoelétricas.

Jatos múltiplos:

Um conjunto de bicos ejetores produz a impressão. As gotas formadoras de imagem não são carregadas, mas seguem diretamente para o suporte. As gotas desnecessárias são carregadas e desviadas para o reservatório novamente.

Jato único/por demanda:

Semelhante à tecnologia anterior, mas conta apenas com um único bico ejetor. Muito utilizada em sistemas de impressão de códigos em linha, numeração e sistemas de endereçamento. Estes sistemas são capazes de imprimir a velocidade de cinco metros por segundo ou até 1.000 páginas A4 por minuto.

Térmico:

O reservatório de tinta possui uma resistência próxima ao bico ejetor. O sinal (impulso elétrico) recebido aquece a resistência. O calor é então transferido da superfície da resistência para a tinta. A tinta é aquecida até formar uma bolha. Quando a bolha é formada, a tinta instantaneamente se expande forçando a tinta a sair pelo bico ejetor. Tudo isto acontece em frações de segundos.

Piezoelétrico:

Sistema de impressão, onde impulsos eletrônicos gerados a partir do arquivo digital são aplicados no material piezoelétric, fazendo com que o volume no reservatório de tinta mude, gerando pressão, essa por sua vez forma a gota que então é expelida.

ELETROSTÁTICA

Essa impressão  eletrostática utiliza fotocondutores (método e transferência indireta) para reproduzir imagens originais latentes tornadas visíveis por meio de toners.

Esse sistema baseia-se no fenômeno, onde certos materiais são isolantes elétricos quando mantidos no escuro, mas são condutores de corrente elétrica quando expostos a luz, podendo ser feixes de laser ou pequenos LEDs (diodos emissores de luz) .

O processo ocorre em cinco etapas que se repetem continuamente:

Geração de imagem:

O fotocondutor recebe carga elétrica uniforme, mantendo as cargas elétricas recebidas. A seguir, o cilindro é exposto a uma fonte de luz, provocando uma descarga seletiva do fotocondutor gerando a imagem no cilindro.

Aplicação do toner:

As partículas de toner carregadas eletricamente são direcionadas para o fotocondutor, que possui carga oposta a da imagem latente formada no cilindro. Esta diferença de cargas faz com que a imagem latente seja revelada no fotocondutor.

Transferência da imagem:

A imagem revelada é então transferida para o suporte. Esta transferência também é feita por atração eletrostática. Atualmente, muitos equipamentos transferem a imagem inicialmente para um meio intermediário e depois para o suporte.

Fusão da imagem:

Após a transferência, a imagem ainda não está fixada ao suporte e para que isso ocorra após a transferência de todas as cores o suporte é encaminhado para a fusão (aquecimento), onde toner, que é composto por resina termoplástica e pigmento, amolece.

Após a saída do sistema de fusão, o toner se solidifica ao entrar em contato com uma temperatura mais baixa (ambiente), fixando-se permanentemente ao suporte.

Limpeza:

Os resíduos de toner que permaneceram no cilindro são removidos aplicando-se uma carga elétrica que neutralizará às partículas de toner remanescentes.

TIPOS DE TINTAS/TONERS

Define-se toner um corante orgânico que se apresenta na forma de micro partículas.

Toner sólido- composição:

Resina termoplástica, um polímero que amolece ao ser aquecido e endurece ao ser resfriado; pigmento orgânico; outros materiais como modificadores de carga, agentes promotores de fluxo e agentes de limpeza de cilindro; partículas entre 3 e 10p.m

Toner  líquido- composição:

Pigmento; óleo mineral; resina polimérica; aditivos; partículas enre 1 e  p.m.

Tintas para jatos- composição:

Corantes:

apesar de serem mais utilizados neste sistema, possuem menor resistência a radiação UV;

Pigmentos:

ao contrário dos corantes tem mais resistência, tem a desvantagem de serem compostos por partículas, o que pode ocasionar entupimentos no cabeçote de impressão;

Solventes, resinas e outros aditivos.

Fonte: Revista Sign;  Minoru, Ricardo, Liberato, Andre; Venegas, Lara e Addair, Paulo. Edição 216 2013

FALANDO EM IMPRESSÃO DIGITAL…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *